Resumo


A Brinquedoteca exerce a função psicopedagógica preventiva na aprendizagem através do brincar e dos brinquedos, possibilitando a interação entre a criança e o objeto lúdico adequadamente, além de desenvolver o relacionamento intragrupal precocemente (socialização). Esta sala age como um agente interventor e facilitador de mudanças sócio-afetivas e cognitivas. Conforme o momento (tempo), o mesmo espaço transforma-se em vários ambientes na semana, permitindo que se vivencie, brincando, experiências bem próximas da futura realidade quando mais maduro.


Este trabalho é feito em duas instituições filantrópicas do ABC, que atendem os filhos de lares de estrutura afetiva e sócio-econômica mínima. São 204 Cças, sendo 29 em berçário e 175 de 1a8m a 6a6m aproximadamente, ambos os sexos, todas no período da inteligência lógica pré-operatória concreta. Constituem dois grupos: um de 104 Cças e o outro com 100 (exclui-se os escolares). O regime de atendimento é de semi-abrigo (ECA). Há entrevistas e acompanhamento diário da família cujos pais trabalham. Na primeira, a brinquedoteca existe há 16 anos (atende até a idade de dez anos), cuja estrutura iniciou como a segunda, existente há 6 anos (atende até oito).


A mais velha consiste de vários espaços-oficinas destinados para esse fim, enquanto na outra, as salas de permanência são salas-oficinas. Ambas usam os princípios montessorianos de normalização e materiais pedagógicos que permitem a construção do conhecimento. Há Estimulação Precoce no berçário. Brincam nos quatro Cantos da Casinha. Jogam solitária e coletivamente na Oficina de Jogos. Criam e redescobrem na Oficina de Artes Plásticas e Artesanato em Sucatas. E sonham, dramatizam e cantam no mundo de fantasias, da Oficina de Leitura e Artes Cênicas, após devastarem o Espaço Verde de Aventuras.


Subjacentemente, correlacionam as situações da casinha, dos jogos e outras, com as sociais vividas, verificando as noções: espaço, tempo, acaso, regras e causa. Os dados em anamneses apontam indícios perturbadores ao bom desenvolvimento psico-afetivo dessas crianças e os atos de brincar e jogar favorecem a expressão de sentimentos que se reestruturam pela recapitulação das condutas através da verbalização e intervenção dos coleguinhas, sob a tutela da monitora. Esses ambientes facilitam a mudança comportamental individual e a generalização de interesses por quaisquer brincadeiras e atividades.


Conclui-se: a brinquedoteca favorece a aprendizagem de maneira sadia devido crescer a auto-estima individual, efetivando a cooperação e a sociabilidade entre as crianças, acelerando a socialização. Porque atua como fonte estimuladora e aceleradora da aprendizagem, a criança motivada se permite a desafios pelo prazer constante de conhecer e poder criticar, devido estar inserida em ambiente onde tudo lhe é significante e tem significado. Sugere-se esse procedimento como recurso preventivo em nível primário de saúde mental do desenvolvimento sócio-afetivo e da inteligência, fundamental neste período de idade.

 
1996 - 2009 Beatriz Piccolo Gimenes / Designer Cinara Piccolo