Resumo


A qualidade de vida tem sido questionada pela intensidade e rapidez as  interações, então, certos valores prazerosos do bem-viver não são aproveitados e seriam deveras preciosos para a saúde física-mental. No lazer, que advém do dever cumprido, que sustenta e harmoniza outros valores, tem-se o brincar na natureza. Então, este contato tornar-se-á um hábito se for construído desde a tenra idade, onde o ser incorpora as sensações percebidas como necessidade da vida e deduz que é dela uma  peça fundamental e integrante, desenvolvendo-se cada vez mais consciente do amor que deve ao meio-ambiente (eu no todo e o todo em mim – concepção sistêmica). Este projeto mostra o viver na natureza incorporado no sistema de significações da criança, através da arte gráfica do desenho.


É feito numa instituição filantrópica de SBC, que atende pela -econômica mínima, quando os pais trabalham. São 270 crianças, desde os dois até 12 anos, ambos os sexos, todas na escola pública desde os quatro anos. O regime de atendimento é de semi-abrigo (ECA).


O Espaço Verde de Aventuras e a Oficina de Artes Plásticas em Sucata são os locais por onde se inicia o projeto de valorização da vida ambiental. Eles pertencem ao complexo brinquedoteca, onde os princípios montessorianos e sócio-construtivistas são usados para facilitarem a construção do conhecimento e a socialização, através do brincar, dos brinquedos e do meio-ambiente adequados. É operacionalizada por diversos projetos. Assim, após desbravarem o espaço-verde e estimulada a imaginação, criam ou redescobrem, ratificando na oficina de artes, os sonhos e fantasias lá sentidos e percebidos. Verbalizam suas opiniões sempre que realizam alguma atividade e co-criam suas regras de viver junto ao adulto. Favorece a construção de valores éticos e morais através do relacionamento entre iguais.


Os resultados apontam que esse processo é um agente facilitador na formação de comportamentos, pois a criança vivencia, brincando, experiências bem próximas da futura realidade quando mais madura. Pela recapitulação das condutas, suas regras são ecológicas e facilitam na formação de respeito a si, aos outros e ao meio-ambiente. A natureza é representada em diferentes formas na produção artística infantil.


Conclui que a brinquedoteca favorece o bem-viver mais adequado possível, pois a criança está inserida em ambientes onde tudo lhe é significante e tem significado. Sugere-se esse procedimento como recurso preventivo em nível primário de saúde mental, principalmente, a crianças institucionalizadas.


Direitos reservados à ABPp:
www.abpp.com.br e Beatriz Piccolo Gimenes.

 
1996 - 2009 Beatriz Piccolo Gimenes / Designer Cinara Piccolo